Mahou tsukai ni taisetsu na koto someday’s dreamer [review]

Mahou tsukai ni taisetsu na koto – someday’s dreamer é um anime inspirado no mangá de Norie Yamada e publicado pela Comic Dragon. O anime foi produzido pelo estúdio J.C.Staff em 2003.

O anime conta a estória de um universo em que a magia convive normalmente com as coisas que vemos atualmente. Existem apenas algumas pessoas que tem controle sobre a magia e aparentemente tem a ver com a genética. Em meio a isso existem partes do governo responsável pela magia. Todos os magos devem ter um ID pra saber caso esteja cometendo alguma irregularidade, e as magias devem ser usadas pelo bem da população. Em meio disso a protagonista vai a Tokyo para trabalhar como trainee de um escritório, onde recebe pedidos das pessoas e os realiza com magia.


O anime discute um assunto interessante, sobre como seria o mundo caso a magia existisse. Tudo poderia ser uma maravilha, mas dentro desse universo a magia é bem limitada e poucas pessoas conseguiriam utilizar de uma forma que possa ser bem aprovada. Isso pode justificar por que não se mexe em algo com vida, já que ao que é possível entender, a magia é limitada e pode trazer mais problemas.

O anime é um bom slice of life. Não espere lutas com magia, mistérios com magia ou qualquer coisa que a mídia adora colocar com a magia para tentar ser interessante. O anime é básico e suficiente, apesar de ter um objetivo bem simples, que é apresentar o “e se tivesse magia no mundo atual?” em um leve slice of life.

Os episódios são normalmente focados em uma pessoa com algum problema que tenta buscar a resolução com a magia. Com isso, mostra a protagonista se tornando mais madura ao longo da série, mostrando que a magia, mesmo que pareça uma coisa boas, pode trazer consequências diferentes do esperado.

O problema é que em muitos momentos o anime parece ser apenas um melodrama, que não consegue se sustentar e pode fazer muitos largarem o anime no meio.

Um grande ponto fraco do anime são os personagens. Os personagens são sem graça, mal construídos e algumas vezes tão toscos que irritam em certos pontos. A protagonista é sem graça, passa o anime inteiro e não conseguimos captar totalmente o tipo de pessoa que a personagem é. Próximo de um amontoado de personagem clichê que não formaram liga, a amiga loira dela é estranha, e passa-se um bom tempo sem entender ela, até que chega em um momento absurdo e em fim o amor dela parece mais o de uma criança. Isso tudo além de muitos personagens que não são tão agradáveis e até momentos sem noção que tentam dar sentido a algo de forma mais confusa.

Os personagens aqui irritam muito mais que em outras série já que o anime é um slice of life, e não é possível um slice of life se sustentar sem bons personagens já que sofre de falta de objetivo e falta de um enredo mais profundo, o que estraga a diversão da série.

A animação apesar de ser um tanto velha, é uma bela animação. Cores bem pintadas, principalmente em relação a variação do claro e escuro, e para os períodos do dia. O anime não é rico em detalhe mas é bonito o suficiente. A beleza do anime consegue completar a parte um tanto imaginativa do enredo.

Uma das melhores partes do anime são as músicas do fundo. Com músicas que trazem uma sensação nostálgica, com uma grande variedade, inspirada em músicas medievais e instrumentos clássicos, sendo as mais marcantes os solos de piano. Também temos salsa que quebra um pouco o ritmo de uma forma agradável. O problema é que em alguns momentos parece ter uma falta de música de fundo que pode fazer o anime ficar mais cansativo e um tanto afastado.

As seiyuus tem uma qualidade regular para um pouco abaixo, não que sejam completamente ruins, mas o problema em relação a caracterização acabam fazendo as seiyuus também ficarem um tanto opaco dentro desse anime, mas a maioria tem uma qualidade normal.

A música de abertura é bem calma, da mesma que forma o anime, com uma animação simples mas boa o suficiente. E o ending tem uma qualidade um pouco melhor, com uma música mais animada e mais interessante do que a da abertura, mas as cenas são apensa paisagens, um ending bem ao estilo dos anos 90.

Resumindo Tudo: O anime tem um assunto interessante, mas perde em parte básica que são os personagens, e a evolução lenta deve afastar muitos desde o primeiro episódio. Na parte técnica é muito bom, da mesma forma que a J.C.Staff apresenta, indicado para amantes de slice of life, e é um bom anime para relaxar no meio desse universo de battle e personagens moe.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s