Ano Hi Mita Hana no Namae wo Bokutachi wa Mada Shiranai [review]

 

Ano Hi Mita Hana no Namae wo Bokutachi wa Mada Shiranai é um anime do bloco de programa da Noitamina. Produzido pelo estúdio A-1 Pictures. Com direção de Tatsuyuki Nagai (To Aru Kagaku no Railgun, Toradora!).

A estória é sobre 6 amigos de infância, que acabaram se separando, após a morte de um dos membros do grupo . Até que agora, 5 anos depois, esse membro volta, mas apenas jintan, o líder do antigo grupo de amigos, é que pode vê-la.

O anime tem uma trama bem simples e toda a estória segue com o mesmo objetivo. Ele toma como base o clássico sistema de mostrar as consequências de uma morte (ideia muito próxima de estórias como Cross Game e obras da Key), que normalmente, é a morte de um membro que era muito amado, mas que de uma forma gerava inveja. Em Ano Hana mostra como as pessoas em volta desse membro, tentaram (ou não) superar a morte dele.

A estória é mais emotiva do que precisava pra ser uma boa obra. Fazer uma obra mais emotiva, garante que o espectador seja mais tocado pelos personagens, então garante um espaço maior na preferencia. Essa ideia na verdade é um tanto arriscada, já que caso exagere ou falte, a obra fica apenas chata.

O excesso em Ano Hana, é a quantidade de vezes que apela para o choro, tanto do personagem quanto do espectador. No primeiro episódio, a quantidade estava aceitável, mas no último episódio, a quantidade fica cansativa. O último episódio sempre é o mais criticado, mas nesse caso tem até certa razão. A quantidade de choro de todos os personagens e o quanto eles gritaram nesse ultimo episódio acaba estressando.

No resto, os episódios de Ano Hana evoluem de forma agradável, mas que continua puxando a atenção do espectador. Toda vez que parece que os problemas são resolvidos, vem mais um de uma forma inesperada.

Os personagens são bem estruturados e fáceis de se apegar. Até o personagem mais superficial na obra tem um motivo forte para seus atos e com uma consciência (o que parece ter uma falta em personagens atuais).

Jintan – dublado pelo Miyu Irino (Ryoushi de Ookami-san, Niwa Makoto de Denpa Onna), o personagem começa como um clássico neet, o grande opressor dos neets costumam ser os pais, mas nesse caso, o pai não liga para os atos do filho (não que ele não saiba ou ignore). É legal ver como o personagem evolui dentro da estória e consegue se reintegrar a sociedade de uma forma natural.

Menma – dublada pela Ai Kayano, essa personagem é quem movimenta todos os personagens e o grande centro da estória. O estilo dela é de uma criança, um fantasma não muda em relação a morte. Ela não tem grandes características, ela é uma personagem mais para ser idealizado por todos do que para exercer algum ato.

Anaru – dublada pela Haruka Tomatsu (Mashu de C, Hitei hime de Katanagatari). Ela tem uma personalidade fraca e muito influenciável, quase uma tsundere, mas dessa vez a personagem tem um motivo de ser assim. Sem dúvida o que mais fica na memória de quem assiste é o apelido infeliz dela.

Tsuruko – dublada pela Saori Hayami (Haqua de KamiNomi, Ikaros de Sora no Otoshimono). Ela passa despercebida na maior parte da obra, sempre como sombra do Yukiatsu, hora dando suporte, hora derrubando ele. Talvez o estilo quieto dela tenha feito com que seja mantida no canto, mas ela poderia ter tido uma atenção um pouco maior. Atenção para a seiyuu, ela tem uma voz bem leve, que costuma ser utilizada para personagens calma e boazinha, mas é bom ver ela em um papel mais forte e duro como este.

Yukiatsu – dublado pelo Takahiro Sakurai (Suzaku de Code Geass, Oshino Meme de Bakemonogatari). Este é o personagem mais perturbado da trama, quase um antagonista da obra. Ele não aceita bem o fato da Menma estar morta e começa fazer crueldade e sofrer mais do que precisava por causa disso.

Poppo – dublado pelo Takayuki Kondo (Hiroto (Tristan) de Yu-gi-oh). Personagem mais forçado da trama em relação as características, mas também é justificado e mostra que este personagem também é tão conturbado quanto o resto.

A abertura é Aoi shiroi de Galileo Galilei. A banda é nova e faz pouco tempo que virou Major, a banda faz sucesso entre os que estão no ensino médio, já que a música deles fiz grande sucesso como música de propaganda para cursinho. A música cai bem no anime com uma boa animação.

O encerramento é Secret Base cantada pelas seiyuus das personagens femininas. A escolha dessa música é perfeita para o anime e toca a muitos que escutam esse anime e que conhece a letra. A animação é simples e usada mais para mostrar o próximo episódio.

Resumindo Tudo: O anime é muito bom e emocionante, um bom drama para todos, mas tem alguns erros que faz a obra não ser espetacular, mas não estraga totalmente a graça do anime. Recomendado como um dos melhores animes da temporada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s