Usagi Drop [review] by Eiti


Esta última temporada foi relativamente fraca, mas ele rendeu um dos animes que tem mais a cara da noiteminA e pega a essência original deste bloco, este anime é o Usagi Drop.

O anime é inspirado no manga homônimo de Yumi Unita, tem como público Josei e foi publicada pela Feel Young. O anime foi produzida pela Production I.G. Com direção de Kanta Kamei e rendeu 11 episódios.

O anime fala sobre o Daikichi Kawaguchi, que vai a cerimônia de enterro do avô e lá descobre que o avô deixou uma menina com 6 anos órfã, chamada Rin Kaga. Como a família não queria aceitar a meinina, o Daikichi acaba pegando ela para cuidar. Resumindo a estória, o anime fala sobre o desenvolvimento da Rin e do Daikichi e a relação dos dois.

Muitos começaram a ver o anime achando que o foco do anime estaria na Rin, em como ela iriai crescer sem ter um pai, adaptação e etc. Mas na verdade quem amadurece na série, são os adultos que estão em volta da Rin. Ela serve mais como uma ponte para isso. O Daikichi, antes não tinha uma vida muito certinha e nem se cuidava, com a vinda da Rin, ele passa a ter que organizar a sua vida e respeitar mais os horários. Isso acontece também com a mãe da Rin, com a prima do Daikichi.

Não que a Rin também não tenha seu foco, como a mudança de escola, briguinha com colega de classe e tudo mais, mas o fato é que o foco mesmo está no Daikichi, que deve ser o personagem que o público mais deve se identificar. O público da noitaminA são os adultos jovens que começaram a trabalhar e vê o anime depois de um dia de trabalho. Ver o Daikichi tendo que sacrificar a sua vida profissional para que possa se dedicar mais a Rin, seria a negação do que eles estão fazendo atualmente, a maioria que estaria vendo deve estar se matando para que possa crescer na empresa e ver que quando tiver um filho, terá que soltar tudo, deve ser até frustante. Mesmo que não seja este público, aqueles pais que estavam mudando de canal aleatoriamente e vê um anime assim, ele deve se ver no começo de quando teve filhos.

O anime também discuti muito sobre o divórcio. Sendo o ponto de comparação o Daikichi, ele sofre uma das possíveis consequência de um(ter que cuidar sozinho de um filho), mas não teve um relacionamento amoroso para isso. Então é comparado a mãe do Kouki, que seria a que divorciou e tals, e a prima do Daikichi, neste caso ela pensa e no fim desiste após refletir muito. Isso pode ser entendido como a mostra das consequências de um divórcio e o que deve feito para evitar isso (não é fugir para a casa do primo, heim!).

Comparando com o anime anterior da noiteminA referente ao desenvolvimento de personagens, AnoHana, este anime não força em nenhum momento a emoção do espectador. O sentimento vem com a aproximação com os personagens e a identificação com elas, o que eles conseguem fazer muito bem, assim conseguiram, sem forçar a emoção dos espectadores, emocionar quem assiste. Fazendo dele um anime mais consistente do que AnoHana.

A evolução do anime é lento e não tem picos de clímax, ele só mostra várias situações diárias que complementam a estória, por ser um slice of life não tem um objetivo definido. Único momento mais forte, digamos, é o penúltimo episódio, em que a Rin fica gripada, não que seja uma doença grave, mas o desespero do Daikichi é muito bem transmitido e faz com que esse momento fique mais ágil do que a média.

O anime optou em animar apenas a parte premiada do mangá que é a infância da Rin. Não li o mangá para poder opinar direito, mas o segundo momento fala sobre a adolescência da Rin, o Daikichi desaparece na estória e fica só focado na vida escolar da Rin, ou seja, o anime se torna um drama escolar barato, perdendo todas as características que comentei anteriormente.

A animação é leve como o esperado e tem um efeito aquarelado, assemelhando a Hourou Musuko e a Kimi ni Todoke. Fazendo com que o anime seja muito leve e agradável, o esperado para o anime.

A abertura do anime é simples e lembra a desenhos de criança com giz de cera, mas muito eficaz. Cantada pela dupla Puffy (mesmas da Hi! Hi! Puffy Ami Yumi), o estilo delas cai muito bem para o anime, e elas até participam como dubladoras, fiquem atentos.

O ending tem o mesmo estilo, mas menos certinho do que a abertura. Utilizando efeito de outros materiais aparentemente.

Resumindo Tudo: O anime é indicado para todos os públicos, inclusive aqueles que não gostam de anime. Você é um adolescente que nem imagina ter filhos? Então veja para ver o que seus pais passaram. Você está pensando em casar? Veja para ver as responsabilidades. Você está pensando em si divorciar? Veja para refletir um pouco mais e decidir, se tiver filhos, essa opção pode mudar a vida deles. Você já tem filhos e tem uma família estável? Veja para relembrar o que você passou e ver como seus filhos estão hoje. Em fim, não existe uma desculpa para não ver, ao menos que você tenha menos de 10 anos e não saiba como que você veio para a terra.

Anúncios

Um pensamento sobre “Usagi Drop [review] by Eiti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s