REC [review] by Eiti

Era para ter feito este texto a uns 4 meses atrás, mas fiquei enrolando e passou bastante tempo. To fazendo ele mais por que a Pers do blog um pouco de shoujo, postou uma review sobre este anime e achei legal também colocar minhas ideias aqui.

O anime é de 2006 e foi produzido pelo estúdio Shaft com direção do Ryutaro Nakamura. Cada episódio (dos 9 e mais um OVA) tem apenas 13 minutos, pegando apenas o primeiro volume do mangá que no momento tem 11 volumes.

O anime fala basicamente de duas coisas: A vida de uma aspirante a seiyuu e o seu romance. Apesar do anime parecer se concentrar na vida da protagonista (Aka) como seiyuu, ele se concentra bem mais no romance entre ela e o Matsumaru, que moram juntos, mas no começo não são realmente um casal. Mais informações da estória indico que leiam no blog da Pers.

Existe uma coisa que é difícil encontrar no meio de shonens e seinens, um romance puro (sem outro estilo no meio). Quando se fala em romance shonen, a única coisa que vem a cabeça são os harem, que não são nada maduros. Por outro lado se falar em um romance seinen o pessoal logo pensa em hentai. Então este anime pega um buraco e talvez por isso acabe se destacando.

Claro que este anime não larga o fan service ou algo que agrade o público masculino, logo no primeiro episódio eles já estão na cama. No começo tinha até assustado, mas depois que você vê o resto da obra, parece que o autor fala para os leitores “pronto, coloquei o que vocês mais queriam ver neste negócio, agora me deixem em paz que vou desenha o que eu quiser”. Ao menos parece ter dado certo, depois deste momento os dois resolvem viver junto, mas Aka não permite mais nenhum contato mais próximo. Eles resolvem viver apenas juntos, o que faz o maior sentido, porque se continuasse no mesmo ritmo, este anime viraria um “futari H” da vida.

O anime mexe com um desejo de muitos otakus (principalmente japoneses) de se casar com uma seiyuu. Apesar de muitos pensarem numa coisa destas, ninguém deve pensar seriamente em como seria isso, e este anime mostra como seria difícil dessa relação acontecer de verdade (apesar de que aqui tem um final feliz).

Como um bom romance, ele sempre tem seus altos e baixos. No começo é tudo uma maravilha, mas logo o Matsumaru começa a ficar revoltado por não poder fazer nada com a ela de noite. Depois vem o problema do fato da Aka estar tendo sucesso na vida, enquanto o Matsumaru fica estagnado na empresa, fazendo com que ele ficasse revoltado e machucasse a Aka verbalmente.

Aqui está o porque dele não ser igual a qualquer romance que vemos por aí. Ele é maduro e voltado para o público masculino. O tema real deveria ser casal moderno e os problemas que ele traz com o ponto de vista masculino. O problema do Matsumaru em aceitar a Aka apenas como moradora é porque a ideia de amizade entre os sexos é recente e nem todos aceitavam esta ideia.

O segundo já é mais problemático, é a dificuldade do homem de aceitar que sua mulher tenha maior sucesso na vida que ele. Para alguém que vive numa sociedade que até a pouco era puramente machista, é difícil aceitar essa diferença. Por muito tempo o homem era o provedor de renda da casa, quando a mulher exerce este papel o homem se sente impotente e inútil perante a casa. Isso é algo que nós homens devemos tomar cuidado, já que as primeiras mudanças aconteceram na geração passada e seus resquícios ainda existem bem enraizadas conosco. Algo que devemos refletir e muito.

Analisando o protagonista conseguimos entender melhor isto. O Matsumaru é um protagonista sem muitos sonhos, trabalha só para sobreviver e é solteiro. Este é o estado em que muitos devem estar e assim ele representa muito bem quem assiste. Os problemas que ele passa e pensa é a representação do que muitos deviam pensar no momento ou mesmo já fizeram mas não perceberam.

A direção também é algo que faz tudo ter sentido, sem ele o anime não se destacaria. As manhãs mais claras, além de ser um horário claro de verdade são um momento de pequenas confusões, a saída do sonho. Quando o Matsumaru começa a brigar com a Aka no fim do anime e o efeito de som no finzinho são detalhes que fazem toda a diferença para este anime simples, mas bonito.

Resumindo Tudo: Este é um anime que não toma muito e é agradável. Acredito que seja um anime que faça mais sentido aos do sexo masculino por conter seus problemas, mas de repente agrade as mulheres. Este é um anime sobre a vida dura das seiyuus, um romance moderno, e a fragilidade dos homens nesta nova sociedade.

Anúncios

4 pensamentos sobre “REC [review] by Eiti

  1. ele tambem nao largou a comedia, e tem uma boa mas ainda bem q nao é o foco . Oque realmente faz dele uma obra muito boa é o seu romance mais maduro
    a comedia é impotante pra deixar mais leve só

  2. Eiti, que resenha MARAVILHOSA! AMEI!!!!!

    Acho que o anime agrada as mulheres sim, principalmente por mostrar um romance mais maduro como vc falou. A briga deles no final me pareceu mais ciúmes pelo fato dela estar longe, lembra que mesmo com o fracasso dele na empresa ele se arruma e compra flores para se encontrar com ela no restaurante? Claro que o sucesso dela tb o incomodou, mas acho que a distância na relação o incomodou mais do que o sucesso, ao menos foi o que me pareceu.
    Como disse no blog (aliás, obrigada pela indicação), acho que os poucos episódios não permitiu que a gente conhecesse mais o casal, dessa forma só nos resta o mangá!

    Mais uma vez parabéns pelo texto!

    Bjs

    • Obrigado pelo comentário! E não precisa agradecer pela indicação, que nós temos dívida com você sobre as últimas bagunças que estamos causando no teu blog, hehehe.
      Eu prefiro pensar como problema de aceitação por que é algo mais discutível. Quando fala ciúmes parece algo fofo e acaba descaracterizando algo que pode levar a violência. Mas claro que isto pode ser um ponto de vista.
      Agora a parte do restaurante e flores é algo que aconteceu antes dos problemas, então acho que foi um momento que o Matsumaru pensou em esquecer tudo, mas acabo revoltando mais ele.
      Eu dei uma olhada no volume 2 e no 3 e pelo jeito a discussão vai mudando bastante. Aí vem o ciúmes e a impotência sexual … pelo jeito devem discutir vários assuntos dentro de um romance.

  3. Então, pelo jeito, o Matsumaru é um personagem bem mais complexo do que eu imaginava, mas concordo que a cena do restaurante foi a gota d’água.
    Quanto ao ciúme é fofo só até certo ponto, a gente sabe que ele pode levar as pessoas a fazerem algo mais violento e desagradável, foi por isso que imaginei que fosse dessa forma, mas acho que tem muito sentido o seu ponto de vista, Eiti!

    Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s