Antique Bakery [review] by Eiti

Antique Bakery é um dos meus mangás preferidos, um ótimo shoujo BL com uma estória envolvente com personagens muito bem desenvolvidos. Depois de um tempo fiquei com saudades do mangá e resolvi ver o anime adaptado em 2008 no bloco noitaminA.

A estória simples sobre um patisserie e seus funcionários flui muito bem nesta adaptação. O mangá tinha vários vai e vem e flashbacks que não é possível entender logo de cara. Isso faz com que o anime seja de fácil compreensão, mas não tem toda a classe que o mangá tinha.

As personagens são muito bem evoluídas, mas foi cortado várias cenas que marcavam as personagens, isso acaba fazendo falta para alguém que leu o original, mas não deve comprometer a alguém que nunca viu a obra, mas causa alguns incômodos. Por exemplo, o namorado do Ono aparece na loja de repente acusando-o de traição, quem não leu o mangá deve tomar um susto por não saber quem a personagem é.

Quando li pela primeira vez o mangá de Antique Bakery o estilo da autora me incomodava um pouco. Na época achava feio, mas na realidade o mangá era muito “sujo”, com excesso de coisas na imagem. Vendo o anime percebi que sentia falta desse detalhes, isso chega até a influenciar algumas cenas passando de cool para ridículo. Algo que o anime não consegue contornar quando tenta adaptar direto o mangá para o anime ou é um problema de character design.

Outra coisa que o anime incomoda é o uso de 3D no fundo com personagens 2D. Não que eu seja contra o uso de técnicas alternativas, mas a qualidade do 3D não é muito bom e dá impressão que foi utilizado para reduzir o custo de produção. Produzir uma sala 3D e depois pegar vários ângulos de câmera e pintar por cima as personagens sai muito mais barato do que pintar cena por cena, já que a maior parte do anime se passa no mesmo lugar.

Claro que o anime não é totalmente ruim. A dublagem do anime é muito bom. Fujiwara Keiji como Tachibana cai muito bem, a voz de velho do Fujiwara é ótimo para este papel e o Mamoru Miyano como o enérgico Eiji também tem seus pontos fortes.

A abertura e o encerramento tem a mesma música chamada Life Goes On da dupla Chemistry, a única diferença dos dois é o ritmo e o instrumental. As cenas da abertura que utiliza um quarto real com as personagens como se fossem papeis funciona muito bem e o encerramento como quebra cabeça desmoronando faz uma bela comparação com a mente do Tachibana.

Agora o OST não me agradou tanto. Tem poucas faixas, repetitivas e utilizados em momentos que não me agradaram. Mas o uso da música de abertura/encerramento com instrumental funciona muito bem, lembrando aos doramas que vivem fazendo isso.

Resumindo Tudo: Este é um bom anime que adaptou satisfatoriamente o mangá. Com muitos contrapontos. Claro que este problema é muito mais por eu ser um fã. O anime é uma boa forma de introduzir a bela estória para depois tentar entrar no mangá que é mais confusa, mas mais satisfatória. Lembrando aos leitores que o mangá é BL. Então esteja preparado para ver cenas gays (isso acontece em uns 3 ou 4 episódios), mas não vale a pena manter o preconceito e deixar de ler uma obra tão boa caso seja um bom apreciador. Agora para quem gosta de BL pode ser um prato cheio já que tem a estrutura base e tem uma ótima estória.

P.S.: Não escrevi muito sobre a estória por que estava com preguiça de reescrever o que já escrevi. Qual quer coisa procurem pela minha review do mangá (mal escrita, mas rola) ou pergunte aqui mesmo.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Antique Bakery [review] by Eiti

  1. E os romances??? O que mais gosto de saber sobre os animes é se tem romances e detalhes da história, a resenha foi técnica, mas para mim que não sei quem é que no jogo da dublagem… Tanto faz!!! Já que vc abriu para perguntas, me conte tem romance e final feliz??? Pq se tiver entra na lista!!!

    • No anime tem romance gay principalmente, no mangá tinha bem mais romances (heteros), mas cortaram quase todos, então no anime só sobro dois romnces gays e mais um romance. Só que mesmo no mangá nenhum dos romances é feliz, todos terminam com a separação das personagens que mostra a dificuldade que a personagem tem de tentar manter relações com as pessoas. O final feliz é relativo, ele não chega a ser triste, mas também não é feliz, ele ti deixa com uma sensação de perda no fim. Então feliz não é, nem é triste, tal vez uma sensação amarga. Por isso mesmo que indico a todos. Mas não espere um romance feliz, nem um final feliz.
      E se quiser pode perguntar toda vez que achar que falta alguma coisa para ti motivar (ou não) a assistir.

    • haha, até aí eu não sou fã de BL e nem sou muito liberal em relação a isso. Por isso que eu gosto muito desta obra, ele me fez quebrar o preconceito (tá que não li outro BL e nem pretendo).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s