O Desapacimento do Elefante [teatro] by Eiti

odesaparecimentodoelefanteOlá pessoal! Hoje vou comentar sobre um tema inédito aqui no blog! Este tema será … Teatro! Comentarei sobre a peça “O Desaparecimento do elefante” inspirado numa série de crônicas do Haruki Murakami e direção de Monique Gardenberg e Michele Matalon. Os atores são Andre Frateschi, Caco Ciocler, Clarissa Kiste, Fernanda de Freitas, Kiko Mascarenhas, Maria Luisa Mendonça, Marjorie Estiano, Rafael Primot e Rodrigo Costa que vai trabalhando em vários personagens diferentes.

Esta peça não é só a atuação dos atores, mas colocaram vários efeitos audiovisuais muito interessantes. Como a utilização de vídeos projetado em uma tela semitranslúcida e som. Mas comentarei mais para frente em cada crônica.

O primeiro conto é “O pássaro de cordas e as mulheres da terça-feira”. Este conto é também o primeiro conto do livro e apresenta os conceitos que serão a base das estórias que é o surrealismo e uma certa incerteza sobre seu fim. Ele fala sobre um homem que está desempregado e começa a fazer os trabalhos doméstico, no meio disso ele recebe ligações de uma mulher estranha com voz sexy e a esposa que manda ele procurar pelo gato desaparecido.

O conto é relativamente impactante e pode assustar a muitos desavisado quando a mulher misteriosa liga e você vê lá no fundo atrás de uma tela a atriz masturbando … Bom, eu realmente acreditava que eles ficariam apenas com o áudio e me surpreendeu (não se preocupe, os outros contos não tem algo desse tipo).

Houveram algumas diferenças com o conto. No caso pode ser apenas o jeito que eu li, mas a esposa do protagonista não me parecia tão autoritário, mas acredito que tenha sido uma boa opção. No livro ele explica melhor a situação dele e então você percebe quanto a esposa pode parecer opressora para ele. Como no teatro não tem esse tempo então o jeito autoritário da esposa já resolve o problema.

O fim pode ser revoltante para muitos. Ele simplesmente deixa o resto aberto e deixa claro que foi mostrado apenas um dia estranho de uma pessoa. Quem disse que tudo termina de forma redonda o dia? Mas é verdade que quando li o conto me deixou revoltado.

O segundo conto é “O Comunicado do Canguru”. Tal vez este seja um dos mais divertidos de assistir. Ele é um monólogo de um homem que trabalha no departamento de qualidade de uma empresa e resolve mandar um vídeo para uma cliente insatisfeita. A atuação é espetacular e gera muitos risos. As faces que o ator faz é muito engraçado e todos podem ver, já que ele é gravado e projetado numa tela.

O assunto é variado e ele vai falando sem rumo, apenas desabafando tudo que gostaria. É um dos contos mais simples da série, mas o monólogo engraçado e a bela atuação do ator faz com que seja um dos mais memoráveis.

O terceiro conto é “Sono”. Neste daqui fala sobre uma mulher que não consegue mais dormir e então decide ler o livro Ana Karenina. Então os dias vão passando e ela vai confundindo a realidade com o livro até causar uma instabilidade emocional.

O conto é rico e é interessante ver como a mulher vai se confundindo. As soluções empregadas no teatro são espetaculares. Como na cena na estação de trem, onde eles projetam trens maria-fumaça parando e sons que fazem lembrar a isso.

A peça vai acontecendo em vários locais diferentes e em cada um vão trocando apenas a projeção, mantendo o básico no palco.

O quarto conto é “Segundo Ataque”. Este é uma das peças mais bem avaliadas e fala sobre um delinquente e uma otaku que resolvem assaltar um Mcdonalds. O nível de loucura é absurdo e muito engraçado.

A crítica feita aos jovens (a linguagem enrolada dos marginais e da linguagem também confusa e misturada com japonês da otaku) é confusa no começo. Simplesmente não conseguia entender o que estavam dizendo e ainda demorei para me tocar que as palavras que a menina soltava era japonês e não apenas a minha imaginação.

O fim também é totalmente louca com os atores dançando Just Dance. Neste conto não devemos encontrar uma lógica, mas simplesmente rir da situação impagável.

O último conto é “O Desaparecimento do Elefante”. Para falar a verdade não gostei tanto deste conto na peça. A verdade é que o conto anterior tinha um impacto muito forte e era tudo muito rápido. Este conto é muito calmo e simbólico. Lembro que o autor original tinha descordado da ordem e a diretora resolveu prosseguir. Pela ordem podemos ver que ela tentou não concentrar comédia e drama junto, mas o comunicado do canguru deixa os estilos mais equilibrado.

O livro original tem bem mais contos e alguns que eu realmente achei interessante não foram utilizados, mas devo concordar que esses apresentados eram os que achavam interessantes também.

Resumindo Tudo: A peça é muito boa e agrada por sua variedade de assuntos ,a qualidade do todo e o uso de elemento multimídia. Devo pedir desculpas, já que a peça já vai terminar no dia 5 de maio em São Paulo, mas se tiver oportunidade, vale a pena conferir!

Anúncios

5 pensamentos sobre “O Desapacimento do Elefante [teatro] by Eiti

    • É lá no Sesc Pinheiros e custa 32 reais (Tem a meia de 16).
      Só que é bom ir comprar antes, porque ele tinha vendido rápido, na última semana então …
      Dá para comprar em qual quer sesc.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s